domingo, 10 de janeiro de 2010

Dar cor

"Dupla delícia: o livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhado" (Mário Quintana, Do Carderno H)
Maratona para os olhos é a leitura. Já pensou quanto que o globo ocular corre sobre as palavras, enquanto lemos? Lembra o movimento das quase póstumas máquinas de escrever: vaaaaai e (plim!) vem! Vaaaaai e (plim!) vem! Vaaaaai e (plim!) vem!

É preciso prática para descer até a próxima linha. Só olhos experientes seguem para a linha de baixo sem ao menos dar uma olhadela na linha de cima. Você já leu a linha de cima pensando que fosse a linha de baixo? Quando criança, sempre seguia as linhas com os dedos, mas a tia da escola não gostava. Dizia que era feio. E, ainda naquele tempo, meu sonho era ler como o Etevaldo. Como ele conseguia ser tão rápido?

Mas hoje acho besteira; bom é aproveitar ao máximo a temporada ao lado do livro. Ler bem devagar, pau-sa-da-men-te, antes que ele acabe. Afinal, tudo que é bom dura pouco e o tête-à-tête com as letras não é diferente. Como o léxico deitado em uma folha pode transformar-se em coisas tão belas? Boas histórias têm disso: dão cor; mas não precisam ser grandes aprendizados. A simples distração já é um elemento fundamental para a leitura.

Um comentário:

Beatriz disse...

Realmente, quando estamos lendo entramos em um mundo diferente. Na maioria das vezes eu me sinto dentro do livro, quase como se fosse parte daquela história. Me envolvo, me emociono. Em qualquer lugar que vc esteja vc nunca estará só se tiver ao seu lado o bom e velho livro.