sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Da leveza, do chumbo



Amor guarita. Amor zelador. Amor do mistério. Da calada.
Amor do impossível? Amor das diferenças? Amor do contraditório? Da Leveza. Do chumbo.

Amor vigia. Amor observador. Amor sem som. Shhhhh!

Amaram-se em silêncio. E só usaram a linguagem do corpo ao se fundirem na lareira.

E continuam se amando. Derretidos. Evaporados. Ainda na mudez.

E isso basta.

4 comentários:

José Anderson disse...

[Silver]
Quando vi logo pensei na musica;
Bailarina e Soldado de Chumbo...
TM
Florida o desenho, duro pensar nesse amor incondicional, nesse amor eterno.

Camilla disse...

Quando o Thobias me mandou o desenho, eu logo fui ouvir essa música do TM - e vi uma casa vazia sem o balé dela; e senti o gosto do café requentado que o deixa em pé.

Silvio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Silvio de Assis disse...

Camila e Thobias, parabéns pelo blog! Os conheci por indicação do Professor Carlos Assis e já acesso há um bom tempo.
Gostaria de saber se podemos trocar algum contato pois queria conhecê-los.


Abraços. Aguardo retorno.